sábado, 20 de novembro de 2010

O Anjo da Noite



Às horas mortas,
Todos dormem.
Meus sonhos passeiam pela casa.
O relógio parado
Marca as horas mortas.
Só a lua acompanha meus sonhos
Vazando pela janela.
Alguém se debruça sobre mim
Um rosto antigo
Uma lembrança perdida
Veste-se de branco
Alguém do meu passado
De quem não lembrarei
Quando o dia chegar.

Sonia Nascimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário